Jardim do Mundo
menu
Jardim do Mundo
Reflexões

Setembro das flores amarelas

Ah setembro…

Mês do início da primavera no Brasil, tudo floresce, a temperatura fica mais agradável…

Costuma agradar tanto quem gosta de temperaturas altas, quanto quem gosta de dias frios. Só é desagradável para quem sofre de problemas alérgicos ocasionados pelas flores, mesmo nesses casos um ipê florido é capaz de encantar!

E, falando em ipê, podemos logo lembrar de suas flores que entre outras possibilidades, também podem ser amarelas.

Chegamos assim, a representação da cor amarela no mês de setembro. Você já ouviu falar do “setembro amarelo”?

No Brasil, há uma agenda anual marcada por cores que mês a mês chamam nossa atenção para problemas de saúde. É assim com o outubro rosa, onde o foco é dado para problemas de saúde, recorrentes em mulheres e com no mês de novembro, marcado pela cor azul, chamando atenção para a saúde dos homens.

O setembro amarelo chama atenção para um problema sério, silencioso, triste…

É o mês de prevenção ao suicídio.

Você pode estar se perguntando qual é a relação disso com a permacultura e todas questões interessantes, que sempre estão disponíveis nesse site. Mas, há uma relação íntima entre todas essas questões.

Um dos princípios éticos da Permacultura é cuidar das pessoas, por isso é tão importante falar a respeito dessa temática.

Tudo que é praticado em consonância com a permacultura busca uma forma de vida mais suave, feliz, em harmonia com a natureza.

Somos parte dessa natureza, estar bem e cuidar para que aqueles que nos cercam também estejam, faz parte desse belo processo de conexão com o nosso planeta.

Com isso, te convido a fazer uma reflexão.

Quando encontramos algum conhecido na rua e perguntamos: “Tudo bem?” Qual é a resposta que, independente de todos os problemas, esperamos ouvir?

“Tudo”.

Não é assim?

Mesmo que o “tudo” venha acompanhado de um “mas” seguido de um desabafo, o “tudo” sai quase que de forma automática, mesmo que ele não represente nada.

Com isso, carregamos dores e a necessidade de ser ouvido, seguimos com o peito cheio de tristeza…

Bastaria um abraço, alguns minutos de atenção, ouvir e ser ouvido para tudo ficar melhor.

Talvez não seja suficiente para resolver o problema, mas alivia a carga pesada que fica acumulada em quem carrega todas as dores em silêncio.

Por tudo isso, hoje te faço um convite.

Convido você a olhar nos olhos de alguém que disser “tudo” e perguntar: Tudo mesmo?

Dê atenção a alguém, ouça o que dói nessa pessoa.

Depois, abrace!

Um abraço é capaz de acalmar, aquece o coração.

Você estará ajudando a transformar o mundo!

Ações pequenas, empatia, reciprocidade, afeto e amor são ferramentas poderosas de transformação.

Quem sabe essa sementinha que você plantar ao fazer isso não cresça?

Se várias sementes como essa começarem a surgir, logo setembro será amarelo apenas pelas flores dos ipês e tantas outras.

Iana Couto
escrito por:Iana Couto
Uma tripulante do meio acadêmico, doutoranda em Ciências humanas, gosto de navegar por entre as caixinhas das áreas de conhecimento e tecer conexões nada obvias. E, dos rótulos que carrego, há aqueles que me agradam mais: permacultora, anarquista, feminista, espiritualista e louca, estão entre eles. Gosto de falar com pessoas, refletir, trocar e sentir. Observo e interajo o máximo que posso, deixo o coração encher e quando ele transborda, transcrevo tudo o que sinto. Disso surgem meus textos.

Deixe uma resposta

Junte-se a nós! Receba inspirações para uma vida mais leve no seu email.

Siga-nos