Viagem

O vilarejo italiano que se transformou em comunidade hippie

Bussana Vecchia

Desde que o bichinho da viagem me mordeu já acrescentei muitos destinos na lista dos favoritos. Morando em um país novo a vontade de explorar é ainda maior. Um dos cantos mais charmosos que visitei nos últimos tempos foi uma cidadezinha perdida no norte da Itália, chamada Bussana Vecchia. Além de ser super pitoresca, a atmosfera hippie esconde uma história apaixonante.


Em 1887, um terremoto violento atingiu o povoado, destruindo praticamente tudo e forçando a população a se transferir e fundar uma nova cidade perto dali. O espaço ficou abandonado até os anos 60, quando um artista ceramista redescobriu as ruínas e se mudou para lá. Desde então, lançou a ideia de criar uma comunidade hippie-artística. 

comunidade hippie

Na década do amor livre e da psicodelia, nada melhor do que um cantinho escondido no meio da natureza. E foi assim, um artista foi chamando o outro e Bussana Vecchia se tornou um polo de artesãos com seus originais ateliers. As pessoas que vivem hoje ali tentam manter o espírito de uma vida mais saudável e com um ritmo menos acelerado, consumo consciente e rotina sustentável.

[Mindfulness Project, uma proposta de vida holística na Tailândia]

  

Apesar de estar sendo descoberta também pelos turistas, o difícil acesso ajuda a manter protegida a essência do vilarejo. Logo na entrada, um burrinho que pasta na praça já dá o tom pra sorrir. Quem se perde pelas ruelas encontra dezenas de casas de pedra com portas escancaradas. É um verdadeiro convite à apreciação da arte local.

No meio do caminho tem também as ruínas da igreja, destruída pelo terremoto, um castelo medieval e alguns teatros pequenos. A cidade ainda conta com restaurantes (inclusive vegetarianos) e festivais de música, artes e poesia. Tudo isso cercado de quadros, esculturas e artesanatos pendurados nos arcos de pontes romanas e muros interrompidos. A paz é tanta que meditar nos gramados ou topo de casas ainda abandonadas pode ser uma ótima experiência. Ta aí um cantinho italiano para conhecer se você estiver passando perto de Gênova.

[5 dias no Vale do Pati, Chapada Diamantina]

Karol Denardin
escrito por:Karol Denardin
Jornalista por formação, depois de alguns anos no mercado, largou tudo para viajar. Encontrou muitas respostas e tantas outras perguntas enquanto trabalhava em fazendas na Itália. Amante da lua, permacultura, bioconstrução e tudo que possa conectar com a natureza. Aspirante a fotógrafa e vegetariana, hoje vive na Itália e trabalha com crianças e adolescentes da periferia de Genova. Vivendo o presente e confiando sempre que o Deus Mu Dança.

1 Comentário

  • Oi Karol, que historia maravilhosa! Ando me questionando muito ultimamente a respeito das minhas escolhas, tenho pesquisado a respeito de workway e outras formas alternativas de trabalho e gostaria de saber como foi essa transição para você. Grande abraço!

Deixe uma resposta

Junte-se a nós! Receba inspirações para uma vida mais leve no seu email.

Siga-nos