PermaculturaSustentabilidade

Cohousing, uma nova forma de morar

a

Quem já pensou em morar em um lugar onde o verdadeiro sentido de bairro e viver em comunidade sejam prioridades? Um novo conceito de moradia vem conquistando cada vez mais adeptos: É o Cohousing, uma nova forma de morar.

Conhecida por ser uma alternativa ao modelo de habitat tradicional, cohousing surgiu ainda na década de 70 na Dinamarca com um grupo de famílias que ansiava por uma vizinhança que oferecesse um verdadeiro senso de comunidade inexistente em subúrbios da região ou em apartamentos. O nome em dinamarquês, bofælleesskaber, significa “vida em comunidade”, o qual foi traduzido para o inglês como “cohousing”, nome também pelo qual se popularizou pelo mundo.

Cohousing

Como nasce um Cohousing

Embora existam diferentes tipos de cohousing ao redor do mundo, todas elas compartilham de alguns elementos arquitetônicos e sociais em comum. No momento de sua concepção, todos os futuros residentes devem participar de seu planejamento, assim como depois dessa fase, todos também são responsáveis pela sua manutenção. Decisões de interesse da comunidade são tomadas em encontros entre os moradores baseados no consenso e no acordo entre eles.

Nesse tipo de habitat, a sua principal característica é a relação indissociável entre a área privada e coletiva, áreas de funções opostas que se complementam. Nela, seus moradores possuem casas individuais privadas, porém espaços comuns são igualmente privilegiados, sendo estes considerados complementos de suas áreas privadas. O objetivo? Aproximar seus moradores, diminuir o custo de vida, compartilhar, reusar e reciclar recursos, dentre outras vantagens de se morar coletivamente em uma cohousing.

O espírito de solidariedade e a ideia de uma vida mais simples, já chegou no Brasil. Você pode acompanhar as discussões no grupo fundado pela arquiteta e urbanista Lilian Lubochinski, na página Cohousing Brasil e Cohousing Sampa.

A seguir, algumas fotos que mostram o quão bem sucedido esse tipo de habitat pode ser:

c

d

e

b

a

b

a

b

Por: Jessica Bittencourt, colaboradora do Jardim do Mundo , arquiteta e urbanista do Gaia Arquitetura.

Jessica Bittencourt
escrito por:Jessica Bittencourt
Jovem arquiteta e urbanista pé na estrada, praticante da filosofia tântrica e entusiasta das alternativas sustentáveis. Em tempos em que impera o individualismo comodista e com ele a míngua do respeito e preocupação com o meio ambiente, defende o despertar para as vantagens que resultam da cooperação e solidariedade. Criadora e responsável da página Gaia Arquitetura, fruto de seu anseio de contribuir para a transformação que deseja ver no mundo.

6 Comentários

Deixe uma resposta

Junte-se a nós! Receba inspirações para uma vida mais leve no seu email.

Siga-nos