Filmes e DocumentáriosReflexões

A verdade sobre a felicidade: onde encontrá-la?

Onde encontrar a tal da felicidade? Hoje em dia temos propagandas de produtos que nos prometem momentos felizes, livros com segredos escondidos a séculos sobre essa busca, promessas e mais promessas.

E não importa que no fundo não acreditemos nessas promessas. Pois, quando o assunto é felicidade, sempre ficamos curiosos para ouvir mais e quem sabe então finalmente sermos felizes!

Mas como ser feliz numa sociedade como a de hoje, cheia de mazelas, de notícias ruins, de desastres, desemprego, crises?

Existe um documentário, de 2011, que ilustra bem essa questão: “Happy”, do diretor Roko Belic.

Este é um filme fantástico, simples, realista e que mostra diferentes pontos de vista ao redor do mundo. Está no Netflix, e é daquele tipo de filme que vale todo seu tempo investido.

O primeiro exemplo do filme, é de um indiano, que vive em uma favela, num casebre super humilde, e é feliz. O sorriso de seu filho quando ele chega em casa o deixa feliz; a sua casa o deixa feliz; seus vizinhos são todos unidos, e isso o deixa feliz.

Para a ciência, de acordo com o documentário, 50% do motivo da nossa felicidade seria através dos genes; 10% resultando do nosso trabalho, casa, vida que levamos e etc; e 40% de atitudes que tomamos para nos fazer felizes.

[Deixe florescer a felicidade que tem dentro de você (Em 7 passos)]

O acúmulo de riquezas, por exemplo, de dinheiro e bens materiais, é desproporcional ao nível de felicidade. Isso parece mentira não é? Mas não é que dinheiro e bens materiais sejam algo ruim. Muito pelo contrário. Mas que se tenha em mente, que isso não é tudo. A prosperidade não é apenas ter muitos carros, casas, viagens e fortunas.

É difícil acreditar, pois vivemos numa sociedade patriarcal, baseada na ambição, onde o sentimento, a alegria e os valores do coração são desvalorizados. Já reparou que quando uma pessoa ri muito, ou está andando feliz e saltitante pela rua, ela é classificada como louca? É como se pessoas que riem demais fossem exageradas, deveriam se conter mais. Já a pessoa séria passa credibilidade (ambiciosa), como os chefes de Estado e autoridades. Se a pessoa ri demais (feliz), ela é criticada de alguma forma.

Faz sentido? Porque somos reprimidos para não expressar alegria? Porque existe um mercado enorme de “venda de felicidade”? “Só serei feliz quando tiver tal coisa!” “Só serei feliz quando for magra (o)”. Então o objetivo é passar a vida na busca dessa tal felicidade?

Como disse um psiquiatra brasileiro, “todos controlam a todos, para que ninguém faça o que todos gostariam de fazer” – Gaiarsa.

Se nós colocarmos o foco somente no resultado (encontrar a felicidade), não vivemos o caminho (a vida). Esquecemos de olhar para dentro. De sermos gratos por tudo que temos e já experimentamos.

Osho diz, que a felicidade não é algo para se buscar. Porque quando você está buscando, você está focado na falta, na escassez. Ele diz que a felicidade você encontra, quando você para de procurar.

[Despertar da consciência – O segredo da felicidade plena]

Parece clichê, mas buscar a felicidade fora de nós mesmos, só te deixa numa busca sem fim. Enquanto isso sua vida, o tempo (inventado por nós, seres humanos, para controlarmos a tudo) está passando. Não existe formula mágica. Cada um sabe aquilo que o deixa feliz. Assistindo “Happy” você vai ter uma boa dose de inspiração.

E então aquela pessoa que tem ambição, acaba chegando lá no topo, na fama, ou na riqueza, ou onde ela quiser chegar. Entenda, não estou dizendo que isso é ruim. Ter ambição também é qualidade! Ela nos move, nos leva a novos objetivos. Mas o que acontece quando chegamos lá no objetivo final e não encontramos a felicidade? Ainda falta algo, um vazio existe dentro do peito.

Algo parecido com o que vem acontecendo com o ator Jim Carrey. Famoso por filmes como “O Máskara”, “Débi e Loide”, “O Mentiroso”, etc. Depois de chegar ao topo, sucesso, fama, ele passou por depressão, perdas pessoais, acusações e se afastou um pouco das telas. Começou uma caminhada de autoconhecimento e chegou a dizer que o “velho Jim Carrey” não existe mais. Hoje ele se diz feliz trabalhando por detrás das câmeras, como produtor.

Uma dica valiosa para viver a felicidade enquanto busca seus objetivos de vida? Olhar para dentro. Não procure fora de si, em rótulos de embalagens, em bens materiais ou no que quer que seja. Então porque não começar a olhar agora? Tem um mundo dentro de você.

Todos somos Um. Descubra seu potencial. Compartilhe seus dons com o mundo. Seja feliz agora.

Ana Reis
escrito por:Ana Reis

Sou Ana Carolina, de Niterói no Rio de Janeiro. Curiosa e pronta para aprender sobre vários assuntos! Apaixonada por natureza, viagens, turismo, montanhas, culinária saudável, cidades pequenas, trilhas, praticar esportes, pelo verde das matas e pela intrigante busca do “quem somos nós”. Acredito que todos temos dons para compartilhar com o mundo, e um dos meus é compartilhar palavras, textos e ideias para refletir. Desejo viajar pelo mundo, mas sempre voltando ao meu lugar e compartilhando conhecimento! Busco através da meditação, da técnica EFT, e de outros métodos de autoconhecimento, encontrar clareza na minha vida e ajudar outras pessoas. Acredito que todo ser vivo é nutrido de amor, e é nossa missão espalhá-lo por aí!

4 Comentários

    • Priscila! Gratidão imensa!!! Não imagina como fiquei feliz em ler sua mensagem! Faço todos os textos com muito carinho e amor na intenção de espalhar coisas boas! Obrigada mesmo, deixou meu dia mais feliz!
      Continue acompanhando esse Jardim!
      Paz e luz!

    • Gratidão Saulo!!! Fico feliz em saber que lhe trouxe essa vontade de assistir novamente o “Happy”! Que lhe traga ainda mais felicidade!
      Um abraço, paz e luz!

Deixe uma resposta

Junte-se a nós! Receba inspirações para uma vida mais leve no seu email.

Siga-nos