Sustentabilidade

AlimentacãoReflexõesSustentabilidade

5 dicas para inspirar uma ceia vegana com itens da despensa

visualizações
1709

A cozinha vegana da televisão é repleta de itens e utensílios. A de casa, sabemos bem, que precisa ser funcional e adequada à nossa realidade. Seja tal realidade: econômica, física, climática, de horário e rotinas. Não dá para pensar na cozinha como um espaço de despejo de nossas faltas e euforias internas, através da entulhada dos armários, geladeiras e gavetas.

É preciso um olhar minucioso e honesto sobre a causa que queremos viver e o que fazemos onde vivemos. Não dá pra melhorar o mundo, sem incluir nosso cotidiano como ponto de partida.

Horta OrgânicaSustentabilidade

Guia completo de como cuidar das suas suculentas

suculentas
visualizações
3977

Embora as suculentas sejam resistentes e umas das plantas mais simples de cuidar, é fácil causar um desequilíbrio e matá-las. Mas com a combinação correta de água, luz e solo, suas suculentas, estejam elas na área externa ou interna, vão florescer e prosperar.

Essas plantas proporcionam uma linda decoração. Elas são perfeitas para pessoas minimalistas que não gostam de plantas com muita manutenção.

Faça Você Mesmo

Saiba como fazer decoração de Natal de forma simples e criativa

1
visualizações
2099

O Natal está chegando e é hora de pensar na decoração. Apesar de ter se tornado uma data mais comercial, a tradição de decorar a casa para o Natal é muito antiga.

Cada item decorativo, como a árvore, as velas, as guirlandas, a estrela e o presépio, surgiram em épocas diferentes. Umas são mais antigas, como as velas que eram utilizadas em rituais pagãos dedicados aos seus ancestrais e como a árvore que teve origem na Alemanha, no século XVI.

ReflexõesSustentabilidade

Uma lição indígena sobre a efemeridade

efemeridade
visualizações
1439

Na defesa de sua dissertação de mestrado na UNB, Célia Xakriabá Mindã Nynthê conta uma história sobre duas mestras Xakriabá, uma etnia indígena do tronco Macro Jê, Akwen, do norte de Minas Gerais. Na história, as duas mestras, dona Libertina e dona Lurdes, estão contando sobre suas construções tradicionais, em um curso na Universidade Federal de Minas Gerais, quando recebem de um estudante a proposta de aprenderem uma técnica que faria com que estas casas durassem para sempre. Sem hesitar, respondem:

“Não meu filho. Obrigado, mas isso é perigoso. Se aceito sua oferta, como é que vou ensinar meus filhos e netos a construir? A casa usada tem que se desfazer para eles observarem como fazer uma nova. Não é a casa que tem que durar, mas o conhecimento. Se a casa cai, mas fica a forma de aprender, a gente aprende e levanta outras.”