SustentabilidadeViagem

House Sitting: viaje barato cuidando da casa dos outros

cuidador de casas

Se você estiver familiarizado com os filmes “Esqueceram de Mim”, entenderá que, no momento em que uma casa ficar sozinha, pessoas de má fé podem tentar invadir e roubá-la. E nem todos têm alguém como o Macaulay Culkin, para proteger a casa. É aí que entra o projeto House Sitting. Em troca de acomodações gratuitas, os proprietários entregam suas chaves para as pessoas dispostas a cuidar da sua casa enquanto estão longe.

Essa é uma ótima maneira de ter um feriado barato, ou tentar viver em algum lugar diferente. Você tem a chance de ficar em algumas casas maravilhosas que, normalmente, não poderia pagar.

Quem pode participar do House Sitting e ser um cuidador de casas?

Qualquer pessoa!

Pode funcionar, particularmente bem, para as famílias que procuram uma casa grande para ficar enquanto estão de férias. Mas também se adapta a viajantes independentes que estão explorando o mundo e estão próximos da casa. O proprietário, geralmente, terá uma preferência e também dependerá do tamanho da propriedade.

Rachael Glazier, foi cuidadora de casa no sul da França, com seu filho e dois amigos. “Funcionou muito bem”, diz ela. “Meu filho era pequeno na época, então, ir a um hotel teria sido complicado. Porque ele precisava de espaço para brincar. Estar na casa de alguém significava que poderíamos relaxar e nos divertir sem se preocupar com a bagunça que nós estavam causando, depois era só arrumar tudo. Nós tínhamos espaço, banhos de sol e, geralmente, fazemos tudo do que se espera em um feriado, mas de uma forma mais relaxada”.

cuidador de casas

[Por que passar um mês em Bali, Indonésia]

O que eu precisarei fazer?

Espera-se que mantenha a casa segura, arrumada e em boas condições até que o proprietário volte. É muito comum que as pessoas que ocupam a casa tenham que cuidar dos animais de estimação também, então esteja preparado para se encontrar na companhia de uma variedade de animais. Alguns proprietários solicitam tarefas específicas para você fazer, como cuidar do jardim, mas isso deve ser discutido e acordado com antecedência.

Nine, uma escritora que atualmente mora em Kuala Lumpur, está cuidando de uma casa por mais de três anos, durante o qual teve que cuidar de gatos, peixes, cães e coelhos. “Além disso, às vezes preciso regar plantas ou abrir as correspondências do proprietário e informá-lo sobre tudo o que precisa ser tratado”, diz ela. “Os animais de estimação que eu cuidei, geralmente, foram de baixa manutenção, embora eu tivesse que lidar com um gato bastante tentador em Barcelona que me atacou, por sorte ele só estava brincando.

Será que eu recebo pagamento?

Na maioria dos casos, o cuidar da casa é uma troca direta, sem dinheiro trocando em mãos. No entanto, às vezes o cuidador terá uma pequena taxa, especialmente se ele tiver um grande número de tarefas para cuidar ou, então cuidando de uma propriedade em um local isolado. Da mesma forma, se um cuidador de casas ficar em uma propriedade por muito tempo, ele pode ser convidado a contribuir com algum aluguel.

viajar

Conselhos de cuidadores experientes

“Eu recomendaria perguntar exatamente o que você precisa fazer”, diz Rachael. “Além disso, se informar se há algum cômodo que não possa entrar, como funciona a máquina de lavar roupa, onde as chaves devem ser deixadas quando você sair e se eles têm referências de qualquer outra pessoa que já cuidou da casa para eles antes. E sempre peça um número de celular e/ou endereço de e-mail dos proprietários, caso algo dê errado ou você precise de dicas sobre algo “.

Nine também recomenda que haja uma boa comunicação com o proprietário antes de fechar o acordo. “É bom conhecer primeiro o proprietário, ter informações relevantes deles em seu perfil online ou conversar com eles por Skype”, diz ela. “Tenha uma ideia dos seus padrões, e também deixe a mente à vontade se eles são novos para ter cuidador. Também é bom perguntar sobre aspectos práticos, como a distância da casa até as lojas mais próximas. Às vezes, os proprietários me emprestam seus carros. Eu me sinto bastante feliz em me adaptar a qualquer situação, então minhas duas únicas questões são se há internet e se eu posso levar amigos (eu posso viver sem isso, mas é bom saber) “.

[4 Dicas para uma viagem mais ecológica]

Onde eu encontro casas para cuidar?

A HouseCarers está sendo executada desde 2000 e lista casas em todo o mundo. No momento da redação, havia 222 disponíveis, principalmente na América, Europa e Austrália. Cuidadores de casas podem se inscrever em um plano gratuito para configurar o perfil e receber notificações por e-mail de oportunidades de casas para cuidar. Mas você precisará se inscrever em um plano pago para contatar os proprietários diretamente. A adesão total custa 50 dólares por ano e permitirá que você faça upload de fotos, referências e outros detalhes para o seu perfil, o que é importante para ajudar a incentivar o proprietário da casa a considerá-lo como um cuidador.

MindMyHouse tem uma propagação semelhante de oportunidades de casas para cuidadores.  No momento da escrita tinha 227 casas  disponíveis na Ásia, América do Norte, Europa, Oceania e América do Sul. Os cuidadores precisam se registrar para criar um perfil pessoal e poder trocar detalhes com os proprietários. O registro custa 20 dólares por 12 meses.

TrustedHousesitters é outro dos maiores sites de casas para cuidar, com mais de 2000 casas listadas no momento da redação. Cuidadores precisam se registrar para criar um perfil, receber e-mails sobre novas oportunidades e enviar e receber consultas. O registro custa uma parcela única de R$ 399,00.

Há também muitos outros sites que oferecem esse serviço. Eles se concentram em regiões específicas, como House Sitting Australia, House Sitters America e a versão da Nova Zelândia, Homesit.

Aproveite e conheça lugares diferentes ou tire uma pausa da viagem cuidando de uma casa.

Traduzido e adaptado de The Guardian.

Jardim do Mundo
escrito por:Jardim do Mundo
Normal ou não, um clichê da sociedade contemporânea ou um casal unido por amor, afinidades e desafinidades, que transforma arte e ciências em pequenos projetos domésticos. Criar um jardim onde antes não se imaginava poder, provar de inúmeras receitas que são também oportunidades, utilizar e reutilizar ao máximo, aprender e aplicar princípios que projetam um estilo de vida mais simples e otimista, acreditando que podemos fazer algo de bom ou de belo enquanto fazemos algo para nós e não apenas para nós.

2 Comentários

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: