Faça Você MesmoReflexões

Festa Junina. Experiência lúdica, cooperativa e transformadora

festa juninaFonte: Mais Goiás

Raramente alguém relata não gostar dos festejos juninos. Ocorre, que aquele estilo de festa junina mais tradicional, com barraquinhas, comidas típicas, correio elegante e bom humor, acabou se diluindo ou se limitando a poucos locais.

Raramente ou nunca, paramos para pensar sobre a energia que paira na atmosfera durante o mês de junho e julho. Se trata de dois meses em que as festas juninas acontecem e proporcionam a confraternização da família e amigos.

Com base nisso, vale a pena pensar nos espaços que temos para proporcionar e participar de uma experiência lúdica, cooperativa e transformadora. Podemos celebrar apenas ou nos engajar de uma maneira bem interessante e ampla, se quisermos.

Celebrando em casa com amigos ou família

Primeiro é legal pensar na quantidade de pessoas que seu espaço acomoda. Com base nisso, comece o planejamento:

  1. Sugira a seus amigos ou família, um encontro junino, no qual todos poderão cozinhar juntos, conversar e dançar.
  2. Pensem em comidas típicas, como milho, pipoca, pinhão, bolos e maçã do amor. Crie um cardápio e se a vertente da festa for vegana ou vegetariana, já encontramos muitas receitas para adequação. Faça uma lista de ingredientes, organize por especialidades e por prato. Fazer as compras juntos já começa a criar um momento de descontração e celebração. Marquem um horário e comecem os preparos em grupo. Cozinhar em cooperação é altamente recomendado e garante inclusão. Os que não sabem ou não querem cozinhar, podem lavar e organizar os espaços.
  3. Pensem em brincadeiras como jogo de argolas, pescaria e bingo. Há diversas atividades que podem ser feitas em espaços até limitados. As prendas podem ser coisas que não se está usando e que cada um pode doar. Outra proposta de prenda é que cada um faça algo conforme seu talento!
  4. Criem uma cestinha de correio elegante: como cada um já se conhece, que tal escrever mensagens de otimismo e mesmo de humor. Transformem numa brincadeira anônima: “Quem diria tal frase?”. Afinal de contas, todos nós temos nossos “bordões”.  Aquele que mais adivinhar ganha uma prenda.
  5. Tornem o espaço um lugar acolhedor e bem decorado. Usem toalha xadrez, chapéus, palha, bandeirinhas e até umas velinhas falsas ou verdadeiras no lugar da fogueira.
  6. Desfrutem de uma boa refeição juntos e vistam-se a caráter!
  7. Vale música típica e vale dançar também. Certamente que por termos vizinhos, precisamos pensar em volume e horários, mas nada impede uma diversão saudável.
  8. Compartilhem histórias de infância sobre a época. Muitos de nós já dançamos quadrilha na rua, já fomos a diversas festas juninas de bairros. Conversar sobre essas memórias é saudável e permite que um conheça o outro de uma maneira mais real.
  9. Preparem marmitinhas juninas para que cada um leve delícias para casa, evitando o desperdício.
  10. Se ainda sentirem que precisam de mais finais de semana juninos, escolham uma próxima casa ou apartamento. Uma ideia é que cada anfitrião, conduza o formato da festa junina também. Cada um tem um jeito especial de criar diversão.
festa junina comidas
Fonte: RSA Eventos

Na rua ou comunidade que habitamos diariamente

Outra forma bem legal de promover os festejos juninos, é envolver a comunidade da rua ou do prédio. Que tal aproveitar quintais e salões de festas?

Se cada morador trouxer um prato e cooperar com algo, todos podem se divertir.

As crianças atualmente vão às festas apenas na escola, mas é muito importante que elas percebam que celebrar com a família, com os amigos e com a comunidade faz parte de uma história maior, que envolve memória afetiva e respeito.

Criar espaços de comemoração em comunidade, oferece a possibilidade para que haja o exercício da empatia e do acolhimento. Nestes espaços comemorativos cada um pode demonstrar talentos e especialidades e se aproximarem uns dos outros.

Como voluntário em outros espaços e instituições

Existem muitas comunidades carentes e instituições como ONGs, creches e grupos específicos  que possuem espaços para celebrações e que fazem anualmente um evento, buscando assim por voluntários e cooperação. Se informe, vá trabalhar voluntariamente numa barraca de comida típica ou de brincadeiras. Ajude a organizar.

Conhecer um outro lado da vida é importante e nos torna mais conscientes de nosso papel no mundo. Estamos aqui para ajudar, cuidar e fomentar o bem. Só isso. Engajamento é a chave para transformação!

Na empresa

Vale também ser um incentivador da “dinâmica junina” no ambiente de trabalho, se houver abertura para isso.

Que tal decorar as mesas, sugerir um café da tarde junino e participativo? Caso a empresa já celebre o período, basta desfrutar com o coração aberto.

Por que celebrar?

Junho é um mês interessante e importante para muitas culturas e civilizações. É um mês de transição de estações. Se puxarmos na história, vamos notar que a festa junina tem origem pagã e que foi trazida para uma conotação religiosa tempos depois.

No Egito, por exemplo, em junho era celebrado o tempo da colheita e eram cultuados os deuses do sol e da fertilidade.

Se pensarmos que por aqui é inverno, logo entenderemos que se trata de uma época de introspecção e recolhimento. Enquanto achamos que nada acontece porque o lado de fora está gélido e quieto, dentro da terra há todo um movimento da natureza para que lindas flores brotem mais adiante.

Celebrar em junho pode ser uma oportunidade de se motivar e semear as intenções mais positivas para que mais adiante o cenário seja bonito e próspero.

Agora, pegue seu traje típico, escolha seu par (ou não) e caminho da roça!

Valeria Amores
escrito por:Valeria Amores
Val é de Santos, gosta do nascer e do entardecer alaranjado que o céu do litoral concede quase todo dia! Pedagoga, apaixonada por projetos sociais e por movimentos que incluam o uso de todo potencial criativo, ou seja, toda ideia é uma semente cheia de valores. Toda ideia é flor e fruto. Toda ideia alimenta e nutre algo. Vegana , mãe de duas almas lindas, pratica meditação Raja Yoga, voluntária e aluna nas atividades da Brahma Kumaris Brasil . Estuda gestão ambiental, cozinha bastante, cria receitas veganas, compartilha, ensina. Tem 37 anos e acredita no poder da ecologia e da sustentabilidade interna como motivadores para um mundo melhor. Comunicativa, silenciosa e também faladeira, risonha , gosta de escrever e papear sobre coisa elevadas e positivas. Adora desconstruir limites que nos prendem a gravidade e ao peso, acredita na psicologia positiva sempre e tanto, o quanto for possível e necessário. Vamos voar para as possibilidade de melhoria, que tá na hora!

1 Comentário

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: