Saúde

Camomila: o ingrediente inovador da minha rotina de beleza

camomila

Há alguns anos, ficou famoso um texto (cuja autoria não me lembro) que falava sobre a força da camomila. Ao contrário de ser a planta fraquinha e quase indiferente como nos acostumamos a pensar, ela seria uma importante planta de conexão com o feminino: forte e poderosa.

Aquele texto me impactou bastante e passei a tomar mais o chá, de uma maneira ritualizada: ao final do dia, antes de dormir, como parte de uma rotina de autocuidado. Um tempo depois, descobri que o seu potencial é ativado pelo orégano, e passei a tomar chá de camomila com orégano (soa estranho, mas fica uma delícia).

Leia mais: A cura para nós e para a terra com a ecopsicologia

Efeitos de uma mudança sentidos minha pele

Este ano, mudei de São Paulo para Barcelona. A mudança me impactou de várias maneiras: ficar longe da família e amigos, ansiedade e medo pelo que pode vir a acontecer, mudança de clima e de alimentação. Tudo isso refletiu muito na minha pele.

Eu fui uma pré-adolescente com muitas espinhas, muitas mesmo. Naquele desespero dos 14 anos, tomei Roacutan e passei os próximos 10 anos com quase nada de acne. Por todo esse tempo, fiquei praticamente sem uma rotina de cuidados: lavando o rosto apenas com sabonetes naturais, usando cremes hidratantes não muito oleosos quando sentia necessidade.

A chegada em Barcelona mudou tudo isso. Fiquei cheia de acne em todo o rosto, pescoço, peito e costas. Senti inclusive que tudo isso estava em um nível mais grave do que eu jamais tive, muito pior do que antes do Roacutan.

Depois de um certo desespero e desejo de voltar mil casinhas atrás nos cuidados naturais e buscar remédios e químicas pesadas, parei e tentei me conectar com minha intuição. Descobri que as espinhas tem muito a ver com nossos medos e com “explosões internas” de sentimentos ruins que se manifestam na pele. Reforcei minha rotina de espiritualidade e aumentei a intensidade das minhas autossessões de barras.

Procurando conteúdos que poderiam me ajudar, por um quase acaso re-encontrei o conteúdo da Fe Canna (@fecanna) sobre automassagem facial. Nos vídeos, ela explica que para umidificar a pele, borrifa um pouco de chá de camomila – o mesmo que ela faz para beber, mas frio.

Percebi que havia, desde que cheguei aqui, abandonado minha rotina de cházinho noturno. Voltei a tomá-lo e passei a reservar uma parte do chá para aplicar no rosto.

Leia mais: 3 Rituais espirituais para ter uma vida tranquila

Rotina de autocuidado com a pele

Meus cuidados com a pele passaram a ser: lavar o rosto pela manhã e antes de dormir com um sabonete natural (estou usando um da Fazenda Guatambu que ainda não acabou), esfoliando levemente a pele com uma esponja natural (minha médica me indicou que tenho uma propensão muito grande a acumular oleosidade em toda a pele, então uso a esponja levemente no rosto, costas, peito e axilas, onde eu tinha antes muito pelo encravado). Depois, passo um tônico da Caió que também ainda não acabou, usando as ecopads da Croche da Marilia. Aí entra a inovação: depois de secar o tônico, passo também com as ecopads um tanto de chá de camomila geladinho (da geladeira) na pele. E, com duas gotas de óleo vegetal de Rosa Mosqueta, faço minha massagem facial.

Passados dois meses do início dessa rotina, os resultados são quase milagrosos. As espinhas se foram quase totalmente.

É claro que não podemos atribuir todo o resultado a apenas um componente das mudanças: estou mais estabilizada aqui, mais acostumada com a alimentação nova e com o clima e incorporei a nova rotina de pele. Mas já fiz o teste de tirar a etapa camomila e percebi que algumas das espinhas voltam.

Amanda Matta
escrito por:Amanda Matta
Filha de Ogum e Oxum, estudante de tudo que pode nos levar ao reenvolvimento: educação, política, meio ambiente, nutrição, cultura, espiritualidade. Paulistana de sangue mineiro e alma pernambucana.

Deixe um comentário