Faça Você MesmoSaúde

Os benefícios da escrita expressiva para a saúde

escrita expressiva

Quando você coloca a caneta no papel para escrever ou quando você digita em um computador sobre experiências estressantes e sobre problemas emocionais pesados em sua vida, pode ser bom para sua saúde e bem-estar emocional. De fato, a escrita expressiva, que basicamente envolve despejar seu coração e mente em palavras, sem se preocupar com ortografia, pontuação, gramática e outras convenções de escrita, é um bom remédio.

Nos últimos anos, pesquisas descobriram que escrever o que estamos sentindo melhora os sintomas da síndrome do intestino irritável, asma e artrite reumatoide; ajuda na recuperação de abuso sexual na infância e depressão pós-parto; e melhora o estado de espírito das pessoas com Parkinson, câncer e muitas outras condições de saúde. Pode até promover uma cicatrização mais rápida das feridas.

Em um estudo realizado em 2013, pesquisadores da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, tiveram 49 adultos saudáveis, com idades entre 64 e 97 anos, que passaram 20 minutos por dia, por três dias consecutivos, escrevendo sobre eventos perturbadores em suas vidas (escrita expressiva) ou escrevendo sobre suas atividades diárias (organização do tempo).

Duas semanas depois, os pesquisadores fizeram nos participantes pequenos ferimentos na parte interna do braço e depois monitoraram sua cicatrização. Onze dias após terem feito a ferida, 80% mais pessoas no grupo de escrita expressiva haviam se recuperado completamente em comparação com os do outro grupo.

A mágica por trás da escrita

“Escrever sobre um assunto pesado emocionalmente ou um trauma não resolvido ajuda a colocar o evento em perspectiva e a dar alguma estrutura e organização a sentimento de ansiedade, o que, em última análise, ajuda a superar isso”, observa James Pennebaker, professor de psicologia da Universidade de Texas-Austin e coautor do livro “Opening Up by Writing it Down: How Expressive Writing Improves Health and Eases Emotional Pain.” (Em português seria: Abrindo-se através da escrita: como a escrita expressiva melhora a saúde e facilita a dor emocional). “Isso pode ajudar as pessoas a dormir melhor, sentir e pensar melhor e ter uma vida social mais rica, o que pode reforçar a função imunológica e melhorar a saúde”.

Não é de surpreender que escrever sobre assuntos com carga emocional também possa melhorar a saúde mental, incluindo sintomas de depressão, ansiedade, transtorno depressivo maior e até transtorno de estresse pós-traumático entre veteranos.

Além disso, em um estudo de 2014 envolvendo 149 mulheres em um programa de tratamento residencial para transtornos por abuso de substâncias, pesquisadores do Sistema de Saúde de Connecticut em West Haven, descobriram que aquelas que se envolveram em quatro sessões de escrita de 20 minutos (sobre tópicos emocionais) em dias consecutivos tiveram grandes reduções na gravidade de seus sintomas pós-traumáticos, depressão e ansiedade após duas semanas, se comparadas com os participantes que escreveram sobre tópicos neutros.

Os mecanismos por trás desses benefícios emocionais não são totalmente compreendidos. Uma teoria é que descrever seus sentimentos com palavras pode ser um tanto catártico, liberando sentimentos reprimidos que podem estar arrastando você para baixo.

Outra é que o ato de escrever pode ajudá-lo a organizar pensamentos desorganizados em pensamentos mais coesos que dão sentido a uma experiência perturbadora ou traumática. Também pode ser que o processo de escrita permita que as pessoas aprendam a regular melhor suas emoções porque elas adquirem uma sensação de controle sobre as  experiências perturbadoras que a vida lhes oferece.

Enquanto isso, alguns estudos publicados na revista Emotion, de abril de 2016, descobriu que a escrita expressiva ajuda as pessoas a se distanciarem de uma experiência de vida angustiante, que por sua vez as torna menos emocionalmente reativas a ela.

“Acreditamos que o processo de criação de uma história coerente a partir de memórias emocionais desorganizadas facilita o autodistanciamento, porque esse processo exige que as pessoas adotem as perspectivas de outras pessoas e se concentrem em contextos mais amplos”, explica o autor principal Jiyoung Park, professor assistente de ciências psicológicas e cerebrais na Universidade de Massachusetts-Amherst.

escrita expressiva

Leia também: Escrita meditativa: a fala orgânica, criativa e silenciosa da alma

Sentir é acreditar

Desde que ela se lembra, Erin Morris teve uma ansiedade que interferia em sua capacidade de tomar decisões. No outono de 2015, ela começou a escrever sobre o que pensava por 15 minutos pela manhã. “A parte importante para mim é não parar e julgar a mim mesmo ou a minha escrita, mas deixá-la fluir e expressar tudo o que está na minha cabeça”, diz Morris, 36, designer gráfica que divide seu tempo entre a Costa Rica e Columbia, na Carolina do Sul.

Além de aliviar sua ansiedade, o hábito de escrever trouxe uma melhora considerável em seus problemas anteriores de sono, maior energia e “clareza mental quando se trata de tomar decisões e lidar com relacionamentos complicados”, relata Morris.

Clint Evans, que gasta até 15 minutos escrevendo em seu diário de manhã e à noite, também se identifica com essas vantagens. “A escrita expressiva reduz meu estresse e me ajuda a dormir melhor”, diz Evans, 36 anos, consultor de negócios e provedor de serviços de conteúdo em Austin, Texas. “Sinto-me aliviado ao escrever no meu diário, minha mente para de correr e fica mais calma.” A prática da escrita o ajuda a adormecer mais rápido e dormir mais profundamente.

A maior parte da pesquisa explorou os benefícios de escrever sobre os pensamentos e sentimentos mais profundos de alguém sobre um evento estressante, usando o ponto de vista da primeira pessoa (a voz do “eu”). Um estudo de 2013 da Universidade de Iowa sugere que assumir uma perspectiva distante de terceira pessoa (usando “ele” ou “ela”) pode ser ainda mais benéfico, porque está associado a pensamentos menos intrusivos e menos sintomas físicos.

“Tomar a vantagem de ser um observador pode ser vital para manter a compostura e progredir ao tentar resolver um evento ou momento angustiante, ou irritante da vida”, explica o autor principal Matthew Andersson, agora professor assistente de sociologia na Baylor University em Waco, Texas. “É um pequeno salto imaginar um evento pessoal difícil através da perspectiva de um observador, usando um pronome de terceira pessoa, como se você estivesse olhando para uma pessoa completamente diferente passando pelo que você fez”.

Obviamente, “esses caminhos potenciais não são mutuamente exclusivos”, observa Andersson, e pode haver benefícios cumulativos. Quaisquer que sejam os mecanismos e a voz que você escolher, envolver-se em textos expressivos pode trazer grandes benefícios.

“A beleza dessa intervenção é que ela é econômica, de baixo risco e oferece alto retorno”, observa Katherine Krpan, psicóloga que investigou os efeitos da escrita expressiva no transtorno depressivo maior na Universidade de Michigan. “As pessoas parecem gostar da ideia de uma intervenção não farmacológica. Você também pode fazê-lo onde quer que esteja.”

escrita expressiva

Como Escrever bem sobre você mesmo

Para aproveitar o poder da escrita expressiva, Pennebaker recomenda escolher um horário e local onde é improvável que você seja interrompido. Tente escrever continuamente sobre algo que o perturbe por pelo menos 15 minutos em quatro dias consecutivos.

Não se preocupe com ortografia, gramática, pontuação, concordância verbal ou outras convenções de escrita; simplesmente despeje seus sentimentos mais profundos e honestos no papel ou na tela do computador. “Pode estar relacionado a algo que você está sonhando, pensando ou se preocupando muito, um problema ou memória que está afetando sua vida de uma maneira prejudicial à saúd,e ou um assunto que você evita há dias, semanas ou anos”, diz Pennebaker.

Experimente por pelo menos algumas semanas e veja se ajuda. Se isso acontecer, fique com ele. Em última análise, o que você faz com sua escrita expressiva depende inteiramente de você: você pode guardá-la para referência futura, jogá-la fora, queimá-la ou rasgá-la, diz Pennebaker. O importante é lembrar que é para ser para seu benefício pessoal e apenas para seus olhos.

Traduzido e adaptado de The health benefits of expressive writing

Natalie Andreoli
escrito por:Natalie Andreoli
Sou paulistana e desde 2009 decidi me mudar para a ilha da Magia (Florianópolis, SC), pois sentia falta do contato com a natureza. Sou neta de italianos e aprendi desde pequena a gostar de mexer na terra e cuidar das plantas, quando ajudava meu pai com a hortinha dele. Sou bióloga MSc., educadora ambiental e aromaterapeuta. Adoro aprender e compartilhar assuntos que proporcionem uma vida em melhor harmonia consigo mesmo, com os outros seres e com o planeta.

Deixe um comentário