Jardim do Mundo
menu
Jardim do Mundo
Vida Natural

Respostas de Ivy: Jardinagem Interior

fountain-thatched-roof-wagon-wheel-spring

Perguntas e Respostas: Qual o Principal Cuidado que o seu Jardim Interior Precisa Neste Momento?

Pergunta de Sissi:

Não faço idéia. Nem saberia por onde começar. Só sei que preciso desesperadamente fazer alguma coisa para retomar algum rumo e algum controle sobre a minha vida.

Resposta

Olá Sissi!

Parece que o que você mais precisa neste momento é se focalizar em quem você é realmente, e estar presente em si mesma. Ao contatar o seu centro de poder interior você se sentirá protagonista da sua vida, conseguindo dar um rumo e controlar as coisas. A perda de controle é uma percepção que você tem em relação às coisas que estão fora de você. E quanto mais você se focaliza nelas, mais você traz essa confusão mental para si. Isso causa um enorme stress porque você não tem controle do que está fora. Mas a boa notícia é que você pode ter controle do que está dentro de você. Por isso, é importante voltar para dentro, para re-contactar a sua luz interior que está sufocada, sem espaço para brilhar e alimentar as plantas do seu jardim, ou seja, as suas potencialidades únicas e insubstituíveis que só você tem para construir uma vida plena. Ao conseguir “controlar” o seu jardim interior, ou seja, despertar para a consciência de que você é completa perfeita com as suas imperfeições, você se prepara de dentro para fora para enfrentar as situações no momento presente, fazendo o que tem que ser feito no agora, sem ficar preocupada com o futuro. A preocupação não serve a nada, só para desperdiçar a sua energia interior. Então, se a sua vida está muito confusa, páre e olhe para dentro de si. Todos os dias ao acordar ou antes de dormir, feche os olhos e procure contactar a sua fonte de poder interior. Em silêncio, se visualize em um lindo lugar na natureza, completamente em paz e serena. Ao aparecer os pensamentos, afaste-os gentilmente, dizendo a eles que poderá pensar neles em outro momento. Assim, você começa a aquietar a mente, e a entrar na esfera da consciência, o seu centro de poder interior. Só quando você aprende a ficar em silêncio (um silêncio de extrema qualidade, pois é aquele que te colega à força vital do universo) é que você pode ter um verdadeiro controle sobre o que você sente, pensa e conduz a sua vida.

Boa sorte!

Abraço verde e sujo de terra!

Ivy

Pergunta de Alexsandro:

Preciso ter coragem para assumir posturas mais coerentes com o que sinto, e demonstrar meu amor e gratidão pela natureza ao meu redor.

Resposta

Olá Alexsandro!

Para atingir o que você deseja, a melhor coisa a fazer é: antes de tomar qualquer decisão, contate o seu jardineiro interior, e veja o que ele te fala. Ele sabe exatamente o que é bom para o seu jardim, e não vai deixar você tomar decisões incoerentes com os seus valores mais importantes. Siga o que essa voz interior e carregada de sabedoria universal te fala. E não deixe a sua mente tomar conta da situação, pois se não você estará se rendendo ao ego, e à sua fome por se aproveitar de tudo e criar drama e sofrimento (para você e/ou para os outros).

Você não precisa demonstrar amor e gratidão pela natureza, o que você precisa é SENTIR amor e gratidão. Isso já está dentro de você, e de todos nós, pois faz parte do nosso inconsciente ecológico como espécie. Basta você re-lembrar, reabrir este canal de conexão com a sua verdadeira natureza e com a natureza à sua volta. Um bom exercício é notar que, ao respirar, você está pegando o ar do ambiente e devolvendo algo de você para ele. A todo momento estamos respirando e trocando moléculas com a natureza de fora, e neste sentido somos uma coisa só. Abra seus sentidos para notar as belezas ao seu redor, e sinta as boas vibrações que você percebe ao ouvir um passarinho cantar, ao ver uma linda flor, ao ouvir a água escorrer, ao sentir o vento na sua cara. Tudo isso são presentes da natureza para você! Basta estar presente para poder apreciar e ser sempre mais feliz.

Abraço verde e sujo de terra!

Ivy

Pergunta de Sandra

Meu Jardim Interior necessita urgente de disciplina, foco. Eu sei do meu potencial, sei o que tenho que fazer, mas não faço. Não consigo entender porque me saboto tanto.

Resposta:

Olá Sandra,

A capacidade de ter disciplina e atenção focalizada pode muito bem ser treinada, como qualquer esporte. Por isso, é uma questão de prática, simples assim! Acho que você não precisa ficar encafifada em entender porque você se sabota tanto. Este pensamento é em si mesmo uma sabotagem: quanto mais nos perguntamos porque fazemos algo errado, mais a nossa mente buscará respostas para essa pergunta. A melhor coisa é você fazer perguntas potencializantes, que se focalizam no resultado desejado, ao invés do problema. Isso porque onde você coloca a sua atenção é o que se expande, porque a sua energia vai ser gasta alí. Foque na solução e não no problema, sempre!

Então, muito simplesmente, toda manhã, ao acordar, agradeça pela sua cama e pela sua noite de sono, e se coloque uma intenção para o dia: o que eu quero realizar hoje? E ao levantar, faça uma lista de até no máximo 6 coisas para realizar durante o dia. Coloque essas coisas em ordem de prioridade, e siga a ordem. Não tem problema se você não conseguir realizar tudo, o importante é que você faça bem feito (ou seja, com a consciência presente) aquilo que conseguir fazer. Não se culpe se conseguiu fazer só uma coisa, pois era isso que tinha que ser feito.

Um forte abraço verde e cheio de terra!

Ivy

Pergunta de Maris:

Acho que não gosto de mim, me acho estranha por pensar coisas estranhas diferentes aos olhos dos outros. Não consegui nada até hoje, estou quase nos 30 anos e perdi muitas oportunidades. Quero viver num lugar diferente, onde não precise de muita coisa pra me sentir feliz, mas não tenho conseguido sair do lugar que estou. Sinto como se minha mente estivesse viajando por caminhos que meus pés não estão seguindo.. Não quero controlar as pessoas e situações, tento ajudá-las, mas me angustio quando me vejo numa situação semelhante e que também não consigo me ajudar. Quero ser mais tranquila quanto ao futuro, e quero ser mais natural e contempladora como eu era quando criança.

Bem.. isso não foi uma pergunta..

Resposta:

Olá Maris,

Meu coração apertou ao ler a sua primeira frase. Isso porque eu te entendo melhor do que ninguém! Eu também não me amava e não cuidava bem do meu jardim interior. Na verdade, eu nem sabia que ele podia ser cuidado, e nunca me ensinaram que se amar e se valorizar são as coisas mais importantes da vida! Afinal, a pessoa mais importante da nossa vida somos nós mesmos! Devemos ser os melhores amigos de nós mesmos, porque estaremos SEMPRE com a gente mesmo!! Eu também sofri muito, e acabei despertando para a luz da vida aos 35 anos! Hoje me amo em primeiro lugar, e aprendi a me re-encantar com a vida! E sei que com uma boa jardinagem interior isso é totalmente possível!

A coisa mais importante é você se ajudar antes de querer ajudar aos outros.

A primeira coisa é você aprender a olhar para o seu jardim interior, apreciando as coisas boas e bonitas dele: quais frutos ele produziu (coisas que você fez e se orgulhou), as suas belezas, e lembrar de momentos em que ele estava em seu esplendor (situações vividas em que você se sentiu realizada, plena). Depois note quais aspectos precisam de maiores cuidados: a sua auto-estima, a confiança em si e numa força maior, etc. Essa sua preocupação incessante com o futuro parece ser o que te impede de realizar o que você quer. É importante que você identifique, no momento presente, qual pequeno passo você pode dar na direção do que você mais quer. Desencane da idade, isso é uma pressão social, uma crença limitadora. As coisas grandiosas são uma fantasia do ego, e na verdade tudo de grandioso só foi feito com pequenos ações realizadas com constância e entusiasmo por um longo período de tempo. Uma floresta se inicia com uma pequena semente, mas para virar floresta leva tempo. Isso não é para te desesperar, mas só para você aceitar que tudo de grandioso leva tempo, mas é preciso começar agora, com pequenos passos, e aceitando a incerteza do resultado final. O que mais interessa, na verdade, são as experiências pelas quais passamos! Procure viver no presente, sem ficar preocupada com o futuro. Pois é no presente que você vai agir para criar esse futuro. Aproveite cada momento, pois quando o futuro chegar, ele vai ser vivido como presente.

Um grande abraço de folhas verdes lambuzadas de lama!

Ivy

Pergunta de Estela Sá:

O meu jardim interior precisa de carinho, mimo, alimento. talvez um abraço ajudasse pois sinto-me frágil.

Resposta:

Olá Estela,

Para você eu inicio com meu abraço final (mais caprichado, claro): uma manta de folhas verdes lambuzadas de uma ótima lama nutriente!! A terra é um elemento que representa o nutrimento, o enraizamento, a segurança, a maternidade. É o elemento que te falta neste momento: um carinho protetor e nutriente! Mas como só você pode nutrir o seu jardim interior, eu te recomendo essa prática, que usei no início da minha jardinagem interior, e que alavancou todo um processo de transformação que resultou em grande auto-estima, auto-confiança, consciência do poder interior de agir para melhorar a mim e ao mundo.

Eu aprendi isso com a Louise Hay: se olhe o espelho e diga a si mesma “Eu me amo e me aceito como sou”, “Você é a pessoa mais importante da minha vida!”. Se você nunca fez isso, pode ser que se sinta ridícula ou até mesmo embaraçada. Mas insista, até que você vai começar a sentir isso de verdade! Isso é legal, pois você aprende que cuidar do seu jardim interior é um ato de amor próprio e que, por mais que pessoas queridas, boas leituras e vídeos possam ajudar, só você é quem tem acesso ao jardineiro de dentro. Contate-o sempre que se sentir assim frágil!

Beijo de flores coloridas e cheirosas!

Ivy

Pergunta de Flor:

 Superar o fim de uma gravidez muito desejada, para ter forças e confiança para tentar novamente ser mãe.

Resposta: 

Olá Flor,

Eu sei como você se sente! Eu também passei por isso e te digo que não é fácil! Um aborto espontâneo, aos 2 meses de gravidez… A primeira… e muito desejada! É uma sensação que acaba com a gente, também porque começamos a achar que tivemos culpa, que não comemos direito, que não ficamos em repouso, etc.. Além da dor da perda, temos a dor da culpa.

Eu sei que pode ser duro ouvir isso, mas mais cedo ou mais tarde, você vai superar isso, assim como eu superei. E tive mais outras 2 gravidezes perfeitas e saudáveis!

Perder uma gravidez é algo mais comum do que imaginamos, isso eu fiquei sabendo após o aborto espontâneo. Conheço muita gente que perdeu e a estatística que uma ginecologista me contou é que de cada 10 gravidezes, 4 não vão para frente. Isso é um processo de seleção natural, provavelmente esse feto não era para vir ao mundo.

Eu sei que não é fácil, mas você tem a possibilidade de escolher: continuar sofrendo, se culpando e se lamentando. Ou parar de sofrer e superar esse fato, aceitando que essa criança não devia nascer, e acreditando que você poderá ser mãe em outro momento. A maternidade virá no momento certo. O universo não dá ponto sem nó! Toda a experiência que vem para a gente, nos faz aprender algo valioso. Colha essa sabedoria. A perda faz parte da vida, assim como a dor. Se não as aceitamos, continuamos infinitamente sofrendo. Por isso a importância de aceitar esses fatos: isso quer dizer que ao pensar neles, você não se sentirá mais dor. Como te falei, isso vai acontecer mais cedo ou mais tarde, está à você escolher “mais cedo”.

Plante dentro de você a semente da maternidade, e deixe que a vida pense em como fazer ela chegar até você. Confie no poder maior e que tudo o que existe é porque tem que existir.

Forte abraço verde e sujo de terra!

Ivy

Pergunta de Nana:

Nesse exato momento preciso de colo… Dar colo para mim mesma… Como fazer isso? A minha insatisfação vem de várias esferas resumidas em uma única… Eu não sei administrar meus problemas e me vejo desesperada frente a tudo que atraí para mim… Nem tenho conseguido meditar, já que não consigo estar em mim, várias coisas puxam a minha atenção, inclusive o cansaço…

Resposta:

Olá Nana,

Pára tudo agora e pegue um momento só para você e se dê algo de presente, algo que para você é muito valioso: um jantar especial, uma viagem, flores, boa música, ir no salão de beleza, etc. Cuide de si mesma, com carinho, pois você é pessoa mais importante do mundo. Estar bem consigo mesmo é um ato não só de amor próprio, mas faz bem a todos à nossa volta. A preocupação e o estresse contínuo produzem toxinas nocivas à você e ao mundo. Por isso, a jardinagem interior que te recomendo é contatar imediatamente o seu jardineiro interior, aquele que sabe de tudo e é capaz de ordenar essa infestação de ervas daninhas que está sufocando o seu jardim. Para invocar esse eu interior onipotente e onipresente, ao invés de meditar (que para você não tem dado certo), faça uma caminhada de 20 a 30 minutos na natureza, de preferência em um lugar com uma mata nativa. Para que a caminhada tenha um efeito meditativo, antes de iniciar, faça um pequeno ritual: Comprimente o “espírito” do lugar, e peça permissão à ele para entrar em sua “casa”, pedindo proteção e prometendo não ter más intenções. Comece a caminhar prestando atenção no silêncio da mata, nas belezas e sensações que você percebe, afastando os pensamentos, dizendo à eles que depois você poderá dar atenção à eles. Quando sentir que entrou em sintonia com o ambiente, sentindo a sacralidade de fundo da mata, invoque o seu jardineiro interior. Procure contatar esse seu observador interno, aquele que não julga, não critica, e que sabe o que realmente é bom para você. Decidam juntos qual ação você precisa tomar em primeiro lugar para resolver o seu maior problema: o desespero. Coloque-se a intenção de encontrar uma solução. Ao identificar uma solução, ou pelo menos uma primeira ação a ser tomada, pegue 2 tirinhas de papel, e escreva nelas essa idéia. Então procure uma árvore com a qual você se identifique, que de algum modo te agrada, ou que você se sente atraída. Peça à ela para guardar com carinho a sua idéia, como uma guardiã que vai olhar por você e pelo seu objetivo. A outra tirinha fica para você, como lembrete. Agradeça pela interação!

Abraços cheio de terra e folhas verdes!

Ivy

Pergunta de Reggi:
O que podemos fazer quando chegamos aos 30 anos sem ter feito quase nada do que poderíamos ter feito? Tipo: um bom relacionamento, vida financeira estável, boa formação, filhos… nem CNH eu tenho rsrs, e olha eu acho que já tentei dar o meu melhor e ainda assim, não foi suficiente, me sinto frustada…

Obrigada.

Resposta:

Olá Reggi,

A sua frustração não é só sua! Esse sofrimento está presente na sociedade humana, que criou esse sistema que tem frustrado grande parte das pessoas. Mesmo pessoas tidas como de “sucesso” estão desalinhadas com elas mesmas e se sentem vazias e com uma vida sem significado. É um problema da atualidade e todos estamos buscando novas formas de lidar com esse elefante branco que a sociedade do consumo criou.

Não se importe com a idade! Isso também é uma construção social. E hoje em dia a expectativa de vida é bem alta, você ainda tem muito tempo para se realizar.

A propósito de realização, a primeira coisa que temos que ter clareza é que não podemos pensar nesta realização como algo no futuro. O futuro é uma projeção, e o único acesso à ele é o momento presente. Então não gaste o seu momento presente se preocupando com o futuro, mas sim definindo que ação você pode fazer agora, por menor que seja, para ir na direção das suas mais elevadas aspirações. Só agindo no presente é que conseguimos algo. Ficar se martirizando, dizendo que nunca fez nada que preste não serve a nada… só serve para você se sentir mal. A sua meta principal é se sentir bem. Então páre de olhar para seus defeitos e olhe com amor e compaixão para o seu jardim interior. Você vai se maravilhar com tantas coisas belas e até mesmo plantas ornamentais escondidas por essas ervas daninhas da sua auto-crítica implacável. Foque nos seus pontos de força, nas suas potencialidades, e decida limpar esse jardim da culpa, do julgamento, da sensação de impotência, da crítica, deixando visível essas plantas saudáveis, frutíferas e encantadoras que já estão aí. Você é uma força da natureza! Você tem dons e talentos únicos, e são eles que todos queremos ver! Mostre-os! Cultive-os. É um dever do ser humano contribuir com o que ele tem de melhor, produzindo muito amor, compaixão, iluminação e flores!

Obrigado!

Beijos de flores coloridas e regadas!

Ivy

Pergunta de Marcos:

Ola Ivy entao é o seguinte: Meu sonho o digamos realizacao era conseguir algo de dinheiro pra comprar uma casa, carro etc etc o basico da maioria isso com 20 anos de idade, hohe tenho 30 posso dizer que consegui um patrimonio de 200 mil reais isso estando fora do Brasil porque nao estudei nehuma area ai esta o Q da questao, sou mais infeliz que nao poderia imaginar tendo 20 anos… Nao sei se pode ser algo da idade mesmo mais a verdade que levo alguns anos empacado no mesmo lugar nao sei dar um passo a frente pro lado como muito… Me sinto infeliz e nao consigo muito mudar isso sou usuario de marihuana diariamente nao sei tbm se isso pode estar enfluenciando de alguma forma, enfim gosto muito da pagina jardimdomundo e coisas do tipo natureza animais vejo casos contados aqui mesmo que vao viver assim em casas fora de cidades e tals e me encanta a ideia mais nao sei como dar o passo, enfim as vezes penso até que posso estar cim depresao mais depois penso que nao pode ser sempre gostei de viver o que acontece que faz algum tempo poca coisa me motiva ja nada me faz tanta graca penso que poderia ser tbm o peso da idade. Enfim ve no que pode me ajudar ai um resposta sera muito bem aceita…

Resposta:

Olá Marcos,

Vejo que você teve toda a garra e determinação para ir atrás e conseguir atingir os seus objetivos planejados nos seus 20 anos. Então a primeira coisa que te digo: calma!!! O seu jardim interior é repleto dessa força criativa e poderosíssima, e ela pode ser usada com maior consciência.

Você chegou aos 30 e percebeu que ter o dinheiro e a possibilidade de comprar as coisas desejadas não é o que te faz feliz. Observe esse sentimento de tristeza, e acolha-o como um aliado: é somente um sinal de alerta. Ele te indica que algo precisa ser mudado.

E antes de dar o primeiro passo para uma efetiva mudança, é fundamental você conversar com o jardineiro interior: aquela sua voz interior que sabe o que realmente é bom para você. Procure entender que coisas te dão a sensação de entusiasmo. Esse é um sentimento de autêntica plenitude, e não o vazio causado pelo uso de álcool, drogas, bem como outras formas de fuga do sofrimento.

Aquilo que nos entusiasma, que fazemos mesmo de graça, são as coisas que mais enchem o nosso coração, aquilo que nutre o nosso jardim interior.

Você precisa se alinhar com quem você é realmente, buscando a solução dentro de você, e não fora. Caso contrário, você vai buscar a felicidade fora de você, planejando objetivos materiais e exteriores que não te realizam por dentro. Precisamos fazer as pazes com nós mesmos, valorizar o que somos, as coisas que gostamos, o lugar onde estamos, a situação em que nos encontramos. Temos que agradecer por tudo o que temos e realizamos. Apreciar até mesmo os erros, pois eles são importantes porque nos mostram algo que não era para a gente. Ao saber do que você não gosta, você aprende algo novo, uma informação importante. Ao ver que esse objetivo de 200 mil reais não te realizou, te trouxe a clareza de que a resposta não vem de fora, mas de dentro: o seu propósito principal é se re-conectar com a sua verdadeira natureza, com o que dentro de você resulta em uma paixão por algo, uma sensação de plenitude.

Você vai fazer amizade com esse sofrimento, e ao mesmo tempo ouvir o seu jardineiro interior, que vai te mostrar quais as suas melhores qualidades. Um bom exercício para isso, visto que você gosta de natureza, é ir em uma mata sem interferência humana e caminhar em silêncio, procurando perceber a harmonia oculta presente alí. No início, a mente poderá dizer que só consegue ver uma ordem incompreensível na floresta, mas você afaste os pensamentos e se concentre nas suas percepções sensoriais, corporais, e no silêncio de qualidade que essa interação proporciona.

Ao caminhar colocando os pensamentos de lado (dizendo à eles que você lidará depois com eles), você insiste em habitar o silêncio que permite a observação da sacralidade da floresta, e a nossa consciência vem à tona, o nosso jardineiro interior toma o comando sobre a nossa mente. Isso quer dizer estar presente em si mesmo, em saborear quem somos realmente, e a partir daí, traçar um propósito exterior (e secundário), com essa consciência vigilante.

Se da primeira vez essa consciência potente e iluminada não conseguir ser observada (o seu jardineiro interior), repita este exercício mais vezes, colocando-se essa intenção. Com o tempo você notará essa presença interior, que apesar de não falar nada, sabe tudo. Ela se comunica com uma modalidade diferente da mente: sem pensamentos incessantes, sem julgar ou criticar. Ela é carregada de uma sensação de plenitude, de autêntico poder interior.

Um abraço florido e verdejante!

Ivy

Pergunta de Mari:

Talvez meu Jardim Interior precise ser regado com uma nova e pura água. Tenho muita dificuldade de lidar com certos tipos de pessoas, estar próxima delas já me incomoda. Sei que esse problema vem de dentro pra fora: não posso fazer as pessoas mudarem só porque eu quero, mas posso mudar (ou tentar) para conseguir uma convivência menos dolorosa. Só não sei como ter força para iniciar e me manter nesse processo de mudança e transformação interior.

Pergunta de Anjo:

Olá, tenho um grande problema, por mais que tento não me deixar atingir por palavras e pensamentos de outras pessoas não consigo. E acaba me desestabilizando muito no meu dia-a-dia. Percebo que acabo me afetando, sou muito sentimental. Consigo em alguns momentos, mas não está fácil. O que faço???

Resposta:

Olá Anjo e Mari,

Vocês tem a mesma questão: pessoas que incomodam. Na verdade não são as pessoas que incomodam, somos nós a perceber a ação delas como um incômodo. Para superar essa interação desarmônica, eu posso indicar duas soluções:

  1. A grande liberdade da vida é que você pode escolher com quem você se relaciona. É uma escolha consciente! Se a presença de alguém te incomoda, evite-a (sem ser grosseiro, ou mal-educado, claro). Simplesmente não se aproxime mais, não ligue mais, ou desconverse.
  2. Se for alguém muito próximo, como um colega de trabalho ou familiar, alguém com quem você tem que lidar de todo jeito, aí a solução é trabalhar sobre como percebemos esse incômodo. Ao notar que o problema não está na pessoa, mas em como nós enxergamos o que ela nos causa, colocamos a possibilidade de solução nas nossas mãos. Entenda que se a vida está colocando ela em seu caminho, é para a sua evolução espiritual. Então, aprenda a ouvir esse incômodo e a transmuta-lo em algo criativo, positivo, construtivo. Observe os seus sentimentos e pensamentos negativos e não os deixe tomar conta de você: mude-os, agradecendo por tudo aquilo que você consegue ver de bom nessa pessoa. Todos temos lados bons e ruins, focalize nos pontos positivos.

Boa sorte

Abraços verdes sujos de terra!

Ivy.

Pergunta de Aline:

Olá, queria saber de onde vem essa tristeza toda dentro de mim!!! o que me desagrada é que somos escravos de um sistema, aquele monte de consumismo e contas para pagar… construi uma pequena casa no sitio do meu pai e quero ir morar lá, mas falta construir um gatil, uma lavanderia, armários para colocar as coisas..estou sem grana, preocupada aqui na cidade… com algumas dívidas.. e isso me deixa triste..

Resposta:

Olá Aline,

É… eu te entendo perfeitamente! Essa tristeza que sentimos reflete a tristeza da Terra, nosso querido planeta que vem sendo ferido pela espécie humana. O sofrimento é percebido como individual, mas na verdade fazemos parte de um ser terrestre, e esse sentimento de tristeza não é nada mais do que a sua sensibilidade em relação ao sistema doentio e louco que foi criado: a sociedade de consumo.

Essa tristeza pode doer, mas ela tem uma função maravilhosa: a de nos despertar para encontrar novos caminhos, novas soluções, novos estilos de vida. E sabemos que a Terra só vai se curar se agirmos como um todo, e por isso tanta gente tá insatisfeita, buscando outras formas de viver, assim como você. Esse site tem um papel importantíssimo neste processo. A própria destruição ambiental reflete uma desarmonia dos jardins interiores de muitos de nós. E apesar de termos que agir coletivamente para reverter a destruição ambiental, esse processo se inicia na esfera individual. Por isso, parabéns!, pois você já deu o ponta-pé inicial. Honre essa dor, aceite-a como uma sensibilidade “boa” para o bem da nossa espécie (porque na verdade, a Terra vai continuar a existir, mesmo que como uma esfera hiper aquecida e sem vida, e quem está em sério risco somos nós, reles humanos).

Confie no seu jardim interior que está iluminado por essa idéia de uma nova vida. E tire dele as ervas daninhas da sua preocupação incessante, isso só te traz estresse. Eu sei que é importante planejar, mas coloque a sua atenção no que você pode fazer em cada momento para ir na direção do que quer, mesmo que essa ação seja esperar mais um pouco. Aceite e confie no processo. Cultive a sua planta da felicidade, pois é para isso que estamos aqui!

Abraço fresco de folhas com orvalho da manhã!

Ivy

Escreva para Ivy através do formulário abaixo

(as respostas das perguntas selecionadas serão publicadas em breve)

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Ivy
escrito por:Ivy
Ivy é uma força gentil e delicada da natureza, capaz de mover montanhas. Um ser de fibra, cansado de ver o sofrimento humano que pode ser curado com uma boa jardinagem interior. Com a justa determinação e coragem para discutir abertamente os medos, dúvidas e aborrecimentos comuns da humanidade, no intuito de acalentar o coração.

Deixe uma resposta

Junte-se a nós! Receba inspirações para uma vida mais leve no seu email.

Siga-nos