Jardim do Mundo
menu
Jardim do Mundo

Leitura

LeituraVida Natural

Sincronário da paz, surpreenda-se com o Tzolkin (Calendário Maia)

6
visualizações
9683

O sincronário de 13 luas de 28 dias é um mecanismo que cria uma ampliação da consciência, é a chave para a salvação do planeta.  É um caminho de autoconhecimento que nos permite passar da terceira dimensão – limitada – para a quarta dimensão – ilimitada, onde está presente o tempo sincrônico, a sincronicidade.

A presente matéria tem a intenção de compartilhar e propagar um grande conhecimento ao qual tive a oportunidade de ter acesso. Venho experimentando no meu dia a dia e estou tendo o grande prazer de usufruir da energia de ondas galácticas que se expandem o tempo todo sobre nós.

EntretenimentoFilmes e DocumentáriosLeituraMúsica

Boas histórias que salvam vidas

1
visualizações
2373

Outro dia li uma história que salvou minha vida.

Nesse caso, não foi literalmente. Ou seja, sim foi literalmente, porque essa história era um livro (piadinha sem graça, eu sei). Mas quando digo “salvou minha vida” pode ser desde “me ajudou a superar um grande dilema” até “me ajudou a passar o tempo enquanto esperava o ônibus”. Nem todos os problemas têm o mesmo tamanho, mas nossa vida pode ser salva das maneiras mais simples. Tudo depende do tipo de dia que estamos tendo!

Filmes e DocumentáriosLeitura

Quando plantar segundo a agricultura natural de Fukuoka + documentário

visualizações
10453

Texto extraído do livro “A Revolução de uma Palha- Uma Introdução À Agricultura Selvagem” de Masanobu Fukuoka.

“Eu cultivo os meus legumes de maneira semi-selvagem, utilizando um terreno vago, ribanceira ou terra inculta não vedada. A minha concepção é lançar, simplesmente as sementes à terra e deixar que os legumes cresçam com as “ervas daninhas”. Faço crescer os meus legumes na encosta da montanha, nos espaços livres entre os citrinos.

[Já escrevemos sobre o Método de Agricultura Natural de Fukuoka, veja aqui]

EntretenimentoLeitura

A vida secreta das árvores

forest-505860_1280
visualizações
9764

As árvores dominam a categoria dos seres vivos mais antigos. Desde o surgimento da nossa espécie, elas têm sido nossas companheiras silenciosas, habitando nossas lendas e inspirando nossas fantásticas cosmogonias. Herman Hesse as chamou de nossas maiores anciãs. Um esquecido jardineiro inglês do século XVII escreveu sobre como elas “falam com nossa mente, nos contam muitas coisas e nos ensinam tantas coisas boas”.

Filmes e DocumentáriosLeituraMúsica

Primaveras revolucionárias que mudaram o mundo

a0ea3435d__750x0
visualizações
2474

A primavera tem no seu íntimo o símbolo da mudança; assim é representada na mitologia grega, na figura de Clóris, como a potência da natureza que traz vida e renovação quando chega. Nesse período do ano, um novo ciclo se inicia e possibilita que frutos e flores cresçam, transformando a realidade que nos cerca e trazendo a possibilidade de vivermos novos tempos. Tudo aquilo que a natureza comporta é tocado pela potência vital da primavera e, assim, ela deixa sua marca também nas criações humanas, trazendo em sua metáfora, novos horizontes para a sociedade.

Confira algumas referências feitas à primavera ao longo das criações humanas. O simbolismo que carrega consigo é de tamanha sutileza, que foi usada por diversas vezes, ora para evocar beleza, ora para evocar força e resistência; sempre como um ato revolucionário.

LeituraNosso DiárioPermaculturaSustentabilidade

O Mito do Indivíduo Autossuficiente

1
visualizações
3311

Essa é uma palavra que aparece com alguma frequência aqui no Jardim do Mundo. A autossuficiência é um termo que ajuda a definir o grau máximo de independência do indivíduo. Quando usamos o termo aqui no site, Lara e eu largamos nosso academicismo, como biólogos que somos, e ignoramos as leis da termodinâmica para relativizar sobre esse termo, de uma maneira mais romântica e não tão literal.

Leitura

Literatura Ambiental: Thoreau e a vida nos bosques

wald
visualizações
2141

No ano de 1817, nascia na cidade de Concord (EUA) um menino, que se tornaria mais tarde um homem questionador das regras sociais e fonte de inspiração para os movimentos ecologistas. Henry David Thoreau, filho de um fabricante de lápis e de uma mãe amante de caminhadas campesinas, sempre se demonstrou muito introvertido e reflexivo, o que lhe trouxe certa fama de desajustado, quando estudava em Harvard.

Junte-se a nós! Receba inspirações para uma vida mais leve no seu email.

Siga-nos