ReflexõesVida Natural

“Criação com apego” Conheça os princípios do método natural de criar uma criança

criação com apego

Os bebês passam meses na barriga de suas mães, confortáveis e seguros durante o seu desenvolvimento. Sentindo e ouvindo sua mãe o tempo inteiro. Quando nascem, passam a estar em um ambiente frio e inseguro, e por isso precisam ao máximo sentirem sua mãe ou alguém próximo que lhe aqueça e faça-o sentir-se seguro. 

Mas ao contrário disso, pediatras e outros especialistas passaram a dizer que os bebês deveriam ser colocados logo cedo para dormirem sozinhos e deixá-los chorando até cansarem. E que não devem receber colo para além da hora da amamentação. Tudo para tornarem-se independentes…

Felizmente há quem não siga estas orientações e faça exatamente o contrário, utilizando o que passou a ser intitulado de Criação com Apego*, que nada mais é do que o Não uso de regras e sim da empatia, do instinto e do amor, focado no bem estar de bebês e crianças.

Os princípios/orientações da criação com apego:

Preparação para a gestação, nascimento e criação

Buscar informações sobre cada fase da gestação (antes e depois), sobre cuidados com o bebê e a amamentação (toda mulher pode amamentar, só precisa de orientação de como o fazer), acompanhamento médico, ter uma alimentação saudável e evitar o estresse.

Ser flexível e não esquecer que a criança não é você e sim um ser único e que está desenvolvendo a sua própria personalidade.

Amamentar por livre demanda

Sempre que o bebê quiser e não de acordo com horários estipulados. Além de ficar alimentado, o bebê é aconchegado pelo cheiro e calor da pele materna.

Se o bebê toma leite na mamadeira, a mãe (ou pai) pode segurá-lo próximo, olhar nos olhos dele e prestar atenção aos sinais de que mamou o suficiente, por exemplo.

Colocar o bebê em um canguru ou “sling” para passear.

Assim o bebê passa mais tempo junto da mãe ou do pai.

[O que é Baby sling? Clique aqui e descubra.]

Dormir no mesmo quarto que o bebê

Pelo menos nos primeiros seis meses, para atendê-lo rapidamente à noite.

Conversar com o bebê

E interagir quando ele estiver desperto.

Tratar o choro da criança

E as birras, conforme vai crescendo, entendendo que esta é a maneira que ela tem para se comunicar. O bebê está pedindo ajuda quando chora ou orientação e conforto quando a criança dá “chilique”.

Através dessas experiências, a criança forma um estoque de lembranças de como é ser cuidada. E essas memórias são o alicerce para construir sua futura saúde emocional. Uma ligação saudável e segura com os pais dará ao bebê e a criança uma boa experiência de relacionamento, que o ajudará a lidar com os altos e baixos da vida.  E sendo tratado com empatia, desenvolverá os recursos emocionais necessários para pensar no outro e tornar-se solidário.

Quando as necessidades básicas dos bebês e das crianças são supridas – proteção, previsibilidade e proximidade – a criança desenvolve-se de forma plena e feliz. Mas não esqueça, ninguém nasce Pai e Mãe, ninguém é perfeito ou tem a fórmula perfeita de como criar uma criança. Esta é uma grande responsabilidade, e seguir o coração é a maneira mais próxima de acertar na criação de uma criança.

 

“Criação com Apego” é a tradução feita para “attachment parenting”, expressão criada pelo pediatra americano William Sears, responsável por divulgar esta filosofia.

Vivian Ribeiro
escrito por:Vivian Ribeiro
Graduada em Comunicação Social, Publicitária “aposentada”, gaúcha e mãe cidadã do mundo. Sem medo do novo e de ir atrás do que sinto e acredito, enfrento a realidade de que para toda a escolha abriremos mão de algo… Morei em Portugal por oito anos e estou há cinco anos no Oriente Médio, Qatar. Acredito no amor transversal a todos os seres como solução e ajuda para uma vida melhor. E que o objetivo de nossas vidas possa ser resumido a uma frase de Fernando Pessoa, que diz mais ou menos assim: “Somos todos anjos de uma só asa. E somente abraçados podemos voar".

Deixe uma resposta

Junte-se a nós! Receba inspirações para uma vida mais leve no seu email.

Siga-nos