Jardim do Mundo
menu
Jardim do Mundo
AlimentacãoReceitasVida Natural

Aprenda como conservar alimentos orgânicos para o ano inteiro

a

Porque num mundo moderno, prático esquecemos as mais básicas práticas de conservação de alimentos?

Essas práticas surgiram quase que com a humanidade, para garantir o processo da vida. Primeiro foi o sol, depois o sal e credita-se aos árabes, mas especificamente aos mesopotâmios a origem das conservas de frutas. Eram compotas, geléias, doces em barras, frutas cristalizadas que eram utilizadas para fins medicinais. Foram os árabes os introdutores do açúcar tanto na farmacopéia quanto na cozinha.

Na Europa essa arte foi introduzida pelos Cruzados, e o método tradicional de preparação dessas delícias pouco se alterou por séculos, continuando a ser simples e rápido. Quem não fica com água na boca quando sente o cheirinho das frutas cozinhando misturadas ao açúcar?

O primeiro texto conhecido aparentando uma compota – marmelos confitados no mel, remonta aos primórdios da nossa Era, figurando num dos 37 volumes da História Natural de Plínio, o antigo, autor romano do século 1. Pouca gente sabe que cientistas e personagens importantes da nossa História se envolveram nesse tema pesquisando e praticando técnicas que são utilizadas até hoje. Temos um manuscrito batizado de “Notas de Cucina” de Leonardo da Vinci, com 80 receitas (a maioria salgada, já que o açúcar era pouco presente na dieta européia daquela época).

[Receita de Sal de Ervas do Jardim]

Mas a primeira obra publicada “Traité des Fardements et des Confitures” que aborda a arte e a maneira de fazer compotas e geléias vem do século 16, assinada pelo médico, astrólogo e praticante da alquimia Michel de Nostre-Dame, mais conhecido por Nostradamus. Sua receita de geléia de marmelo valeu-lhe elogios do anúncio papal de Avignon, pela sua doçura celestial.

As conservas em Portugal eram feitas de forma caseira pelas mulheres, servindo de sustento às famílias, mas há também o envolvimento dos homens, os chamados conserveiros, confeiteiros e alfoeleyros (fabricantes de alféloas, um doce de calda de açúcar ou de melado em ponto). Foram, porém, os conventos e recolhimentos femininos que expandiram a arte da doçaria e conservaria, a partir do século 17. Essa tradição doceira marcou a culinária portuguesa até os dias de hoje, conferindo-lhe identidade, como as queijadas de Sintra, os ovos moles de Aveiro entre outros, receitas transmitidas de geração em geração.

Com a expansão da produção do açúcar, o doce tornou-se mais popular, mas ainda em ocasiões comemorativas ou no encerramento de uma boa refeição. Depois invadiu o horário dos lanches e passou a ser considerado um mimo, um presente, ofertado como sinal de apreço. Vasco da Gama oferecia conservas da Ilha da Madeira, famosas por seu diferencial utilizando especiarias. Logo se alastrou pela sociedade, conquistando vários significados: status, amor, festa ou sociabilidade.

Para nós que temos a saúde e a sustentabilidade como meta é fundamental buscar a sabedoria desses alquimistas, pois os alimentos orgânicos são sazonais obedecem a safras e estações do ano. Conservá-los, portanto garante melhor aproveitamento do produto e também tê-los à nossa disposição durante todo o ano.

Conservas, geléias e compotas são opções criativas como petiscos, além disso, dão um toque especial no sabor tanto de pratos salgados como doces. Elas serão nossas companheiras e uma arma eficaz na conservação dos alimentos mais puros, como era antigamente. Com elas poderemos usufruir das frutas, verduras, legumes e grãos durante todo o ano, sem sofrer as conseqüências dos agrotóxicos, sementes transgênicas, conservantes e outros aditivos químicos.

[ Aprenda fazer geléia de morangos com pimenta]

Segundo Maria Lucia Gomensoro, autora do Pequeno Dicionário de Gastronomia (Editora Objetiva), nos diz: “Compota é um doce feito com frutas, frescas ou secas, inteiras ou em pedaço, cozidas em uma calda de água e açúcar, de ponto grosso normalmente. Pode ser aromatizada com especiarias ou bebida alcoólica, como brandy ou licor. As conservas, em geral, são salgadas”.

a

Vamos nos embrenhar neste mundo de delicadezas, dedicação e delícias, experimentar as dicas e receitas de compotas, geléias e conservas, com a vantagem da sua durabilidade e pureza, que facilitam muito nosso dia a dia.

Estamos na época das tangerinas, que delícia, pena que logo acaba!

Vamos aproveitar e fazer uma deliciosa Geléia de Tangerina ou Bergamota, como falamos aqui no sul:

Geléia de Tangerina 

– 12 tangerinas orgânica descascadas e sem grãos
– 1kg de açúcar mascavo orgânico
– casca de seis tangerinas picadas em tiras
– 1 colher de bicarbonato de sódio

Para preparar as tangerinas, descasque-as, corte-as ao meio e retire os grãos. O primeiro passo é ferver as cascas picadas, adicionar o bicarbonato e deixar ferver. Depois, retire do fogo e coe as cascas. Passe água corrente para lavá-las e esmague um pouco. Ponha novamente as cascas para ferver e acrescente as tangerinas e o açúcar. Misture tudo e deixe cozinhar até perceber que o bagaço está bem mole.

Enquanto ferve, mexa a mistura e se ainda houver grãos, retire. Em seguida, passe água fria ao redor da panela para esfriar a mistura e depois despeje no liquidificador. Bata a polpa até ficar homogênea. O próximo passo é levar a mistura novamente ao fogo até ficar pronta.

Com a receita no ponto, é só colocar a geleia em uma travessa ou pote e esperar esfriar.

Conserva de legumes deliciosa

1. O primeiro passo é cozinhar os legumes. Para essa situação, o ideal é que eles fiquem ao dente, ou seja, cozidos e ainda firmes. Isso faz com que esses vegetais fiquem mais saborosos na hora do consumo e também faz com que eles percam menos nutrientes.

2. Dependendo dos legumes que forem usados, os tipos de corte devem ser diferentes. A cebola, por exemplo, deve ser cortada em rodelas antes de lavar e ficar uns 10 minutos de molho na água. Já a vagem e a cenoura podem ter cortes diferentes, como você desejar. Para o pepino, é bom descartar as duas pontinhas antes de lavar bem.

3. Na hora de colocar os legumes no pote, antes mesmo de adicionar os condimentos, é bom separá-los em camadas. Isso vai dar um toque mais sofisticado ao pote, deixando toda a conserva mais bonita e apetitosa.

4. Uma boa dica antes de adicionar o azeite e o vinagre na conserva, é fazer uma pequena mistura para deixar o sabor ainda melhor. Ferva o vinagre, azeite e orégano. Depois de misturar isso tudo, só faltará despejar por cima dos legumes até que eles fiquem completamente imersos.

5. Por fim, é só deixar pegando o gosto, por pelo menos 24 horas antes de consumir!

As conservas de legumes podem durar de 5 a 6 meses fora da geladeira, com o vidro totalmente vedado.

Compota de Pêra, Gengibre e Limão

-1kg de Pêras orgânicas maduras mas firmes
-500g de Açúcar orgânico
-1dl de Água
-1 Pau de Canela
-raspa da casca de 1 Limão
-1 pedaço de Raiz de Gengibre picada (mais ou menos o tamanho de um polegar)

Preparação 

Lavar, descascar e cortar as pêras em pedaços.
Juntar todos os ingredientes num tacho grande.
Deixar levantar fervura e baixar para lume brando.
Mexer de vez em quando até o açúcar atingir o  ponto estrada.
Colocar depois o doce ainda quente em frascos esterilizados (eu encho-os com água e coloco no microondas 3 minutos).
Fechar e virar os frasco para baixo para criarem vácuo.

Fonte: Nadia Cozzi (Coletivo Verde)

Jardim do Mundo
escrito por:Jardim do Mundo

Normal ou não, um clichê da sociedade contemporânea ou um casal unido por amor, afinidades e desafinidades, que transforma arte e ciências em pequenos projetos domésticos. Criar um jardim onde antes não se imaginava poder, provar de inúmeras receitas que são também oportunidades, utilizar e reutilizar ao máximo, aprender e aplicar princípios que projetam um estilo de vida mais simples e otimista, acreditando que podemos fazer algo de bom ou de belo enquanto fazemos algo para nós e não apenas para nós.

1 Comentário

Deixe uma resposta

Junte-se a nós! Receba inspirações para uma vida mais leve no seu email.

Siga-nos