ReceitasVida Natural

Aprenda a fazer Homus, uma pasta árabe de grão de bico

homus

Homus é talvez a mais famosa pasta da comida árabe, feita a partir de grão de bico. Super nutritiva, ela acompanha muito bem diversos pratos e é uma ótima opção de “mistura” para os vegetarianos/veganos, por ser rica em proteínas.

“Pasta de grão de bico” é a mais comum explicação sobre o homus, cujo nome inclusive significa “bico”, em referência à leguminosa. No entanto, o que ninguém te conta é que o que dá o sabor diferenciado a esta delícia é outro ingrediente: o tahine!

Se você, como eu, estiver disposto a experimentar toda a variedade que é possível nesta pastinha – de tahine, você entenderá do que estou falando. Mas se não, sem problemas! O homus original já é incrível e sua receita segue abaixo.

Leia mais: 15 receitas de bebidas probióticas para curar seu intestino

Homus tradicional

Ingredientes

  • 200g de grão de bico seco;
  • 2 dentes de alho;
  • 2 cebolas pequenas;
  • 4 colheres de sopa de tahine;
  • 2 limões;
  • Azeite, cominho e sal a gosto.

Modo de fazer

Usar o grão de bico dá um certo trabalho porque ele demanda um tempo de molho. Eu gosto de deixá-lo toda a noite mergulhado na água, para que ele solte os fitatos e se torne mais digestivo. No dia seguinte, despeje a água fora e cozinhe o grão de bico sem tempero. Há quem sugira colocar uma pequena colher de chá de bicarbonato de sódio neste cozimento, para ajudar a dissolver a casca do grão.

Despeje 1/4 do grão de bico ainda quente no processador, mas caso você não o tenha pode usar o liquidificador. Adicione 1 colher de sopa de tahine, meia cebola, meio dente de alho, suco de 1/2 limão, um pouco de cominho e azeite a gosto (eu uso bastante, algo como 2 colheres de sopa). Bata tudo e experimente – se for necessário, adicione o mínimo possível da água do cozimento para ajudar seu eletrodoméstico a rodar. Adicione, então, sal a gosto. Repita o processo mais 3x (até os ingredientes acabarem) e está pronta sua pasta!

Atenção: ainda que caiba tudo de uma vez no seu liquidificador, eu fortemente não recomendo que você faça porções maiores por vez! O grão de bico é muito pesado, poupe seu motorzinho.

homus

Dê o seu toque

Caso você, como eu, goste de experimentar pequenas inovações na cozinha, o céu é o limite. O grão de bico nesta receita pode ser substituído por QUALQUER leguminosa: todos os feijões e lentilhas que experimentei funcionam super bem, só é importante se ater aos tempos de molho e cozimento de cada um.

E mais ainda: para dar uma corzinha na sua comida, você também pode adicionar legumes! Eu só experimentei até hoje cenoura e beterraba, e fazem muito sucesso. Eu simplesmente adiciono a mesma quantidade de legume que a cebola (1/2 cenoura ou beterraba grande por porção), crus mesmo!

Leia mais: Cookie vegano de pera e banana

Para garantir sucesso, segue abaixo minha receita alternativa preferida:

Homus de feijão e beterraba

Ingredientes

  • 200g de feijão carioca;
  • 2 dentes de alho;
  • 2 cebolas pequenas;
  • 2 beterrabas grandes;
  • 4 colheres de sopa de tahine;
  • 2 limões;
  • Azeite, cominho e sal a gosto.

Modo de fazer

Deixe o feijão de molho por aproximadamente 10h. Descarte a água e cozinhe o feijão.

Despeje 1/4 do feijão ainda quente no processador. Adicione 1 colher de sopa de tahine, meia cebola, meio dente de alho, meia beterraba crua, suco de 1/2 limão, um pouco de cominho e azeite a gosto (eu uso bastante, algo como 2 colheres de sopa). Bata tudo e experimente – se for necessário, adicione o mínimo possível da água do cozimento para ajudar seu eletrodoméstico a rodar. Adicione, então, sal a gosto. Repita o processo mais 3x (até os ingredientes acabarem) e está pronta sua pasta diferentona e, o melhor de tudo, rosa!

Agora é a sua vez de fazer essas receitas deliciosas!

Amanda Matta
escrito por:Amanda Matta
Filha de Ogum e Oxum, estudante de tudo que pode nos levar ao reenvolvimento: educação, política, meio ambiente, nutrição, cultura, espiritualidade. Paulistana de sangue mineiro e alma pernambucana, vive entre uma comunidade ribeirinha no Pará e uma tentativa de agrofloresta no interior de São Paulo.

Deixe uma resposta

Junte-se a nós! Receba inspirações para uma vida mais leve no seu email.